Artigos‎ > ‎

*Vivendo de Open-Source? (Software livres)


    Perguntas mais comuns.


    Entre tantas notícias relacionadas ao lançamento de distribuições e softwares abertos em geral, uma questão recorrente é sobre a remuneração dos programadores, afinal, toda a ideia de software "livre", "open-source" ou "free" é muito bonita, mas como fica a coisa na prática?

    Como é o retorno financeiro de desenvolvedores de softwares livres, ou se não há nenhum lucro pelo software desenvolvido; Como funciona o lucro desses programadores?

    Existem várias categorias de desenvolvedores. Quando se começa a desenvolver, muitos resolvem iniciar algum pequeno projeto, com o objetivo de aprender. Pode ser um conjunto de scripts, algum tipo de aplicação web, algum novo editor de textos, ou qualquer coisa do gênero. Neste caso o objetivo é simplesmente ganhar experiência ou aprender, uma forma mais criativa de praticar do que ficar repetindo exercícios chatos. Manter um pequeno projeto também é uma boa forma de fazer contatos que podem abrir algumas portas mais tarde.

    Em seguida temos os programadores profissionais, aqueles que já estudaram e já têm experiência. Muitos deles começaram com pequenos projetos, que com o tempo se transformaram em grandes projetos. Neste caso, eles podem muito bem ganhar a vida prestando consultoria (tanto para seu próprio programa, quanto usando sua carga de experiência para desenvolver novas soluções) ou até mesmo dando treinamentos e/ou suporte.

    Para quem não quer ganhar a vida trabalhando como autônomo, existe a possibilidade de ir trabalhar em alguma grande empresa, que possua ou pretenda implantar projetos dentro da sua área de especialização. O campo de trabalho aqui é grande, pois abrange desde empresas que estão fazendo programas piloto para o uso de Linux ou aplicativos como o OpenOffice.org e precisam de suporte para os usuários, até o caso de empresas de hospedagem que precisam de especialistas em redes e servidores, passando por todo tipo de trabalho de desenvolvimento, suporte ou criação de soluções.

    Normalmente as boas oportunidades não são anunciadas no jornal nem em sites de currículo. Cargos importantes exigem pessoas de confiança e a forma mais comum de encontrá-las é através de indicações. Neste ponto, a rede de contatos cultivada ao longo da sua vida profissional e o fato de você ter alcançado algum reconhecimento em projetos anteriores pode ser o diferencial.

    O mais importante para quem trabalha com Linux ou outros sistemas abertos é não cair na armadilha da militância. Tenha em mente que software é ferramenta, o objetivo é resolver os problemas do seu cliente, não empurrar uma solução deficiente só por que ela é "livre". Escolha suas batalhas. Se não existir nenhum software aberto que atenda à necessidade e você não tem condições de desenvolver ou adaptar nenhum, não hesite em indicar alguma solução proprietária que seja capaz de resolver o problema ou mesmo indicar outro profissional que entenda mais do assunto.


Comments